Tubarão de bolso que brilha no escuro é descoberto no Golfo do México

Essa é a segunda espécie de tubarão de bolso descoberta, sendo que a primeira delas foi conhecida pelos pesquisadores em 1979, no Oceano Pacífico Oriental.

Os tubarões são animais imponentes, que impõem respeito e muito medo para quem vive ou frequenta o mar. Eles são predadores perigosos e que podem causar grandes estragos. Porém, existe uma espécie de tubarão que foi encontrada há poucos anos e é bem diferente dos que já conhecemos.

Foto: J. Wicker, NOAA/NMFS/SEFSC/Miami Laboratory/Wikimedia CommonsO tubarão de bolso americano possui somente 14 centímetros.
O tubarão de bolso americano possui 14 centímetros.

Batizado de Mollisquama mississippiensis, ele possui somente 14 centímetros e, o mais legal: brilha no escuro. Chamado de “tubarão de bolso americano”, ele foi descoberto em 2010, no Golfo do México, a 314 quilômetros do delta do Rio Mississippi (por isso o nome). Em 2013, ele voltou a ser visto pelo pesquisador Mark Grace, da Administração Oceânica e Atmosférica Nacioanal. A identificação do animal e a descoberta de que se tratava de um tubarão de bolso só aconteceu em 2015, após cinco anos de estudo e análises.

Essa é a segunda espécie de tubarão de bolso descoberta, sendo que a primeira delas foi conhecida pelos pesquisadores em 1979, no Oceano Pacífico Oriental e possuía 40 centímetros. A característica marcante desses animais é que, ao lado das brânquias, eles possuem duas pequenas bolsas, que produzem um fluído luminoso, por isso brilham no escuro.

A distinção entre essas duas espécies é que a catalogada mais recentemente possui duas diferenças nos dentes, diferenças no formato do corpo, um número menor de vértebras e não são somente as bolsas que brilham no escuro, e sim o corpo todo do animal. Um artigo feito por pesquisadores da Universidade de Tulane, nos EUA, detalhando essas características do Mollisquama mississippiensisfoi publicado na revista Zootaxa.

“A cor preta e seu brilho sugerem que a nova espécie viva na zona mesopelágica [início da faixa abissal do oceano], uma região sem luz entre 200 e 1.000 metros de profundidade. Não sabemos muito sobre nenhum dos peixes que vivem nesta zona”,disse Henry Bart, um dos autores do estudo.

Foto: Michael Doosey/Tulane University/DivulgaçãoEssa nova espécie de tubarão brilha no escuro.
Essa nova espécie de tubarão brilha no escuro.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais