Setembro Amarelo: O que é o distúrbio da despersonalização

Saiba mais sobre esse distúrbio, que afeta uma a cada 100 pessoas.

Ainda estamos no “Setembro Amarelo”, campanha que promove o combate ao suicídio. As pessoas propensas a se suicidarem, são aquelas que sofrem com depressão ou com algum distúrbio que a impeça de ser feliz. E a despersonalização é um deles.

A despersonalização é um transtorno mental que faz com que o portador se sinta desconectado não somente do mundo ao seu redor, mas também de seu corpo. Para essas pessoas, o mundo parece surreal, sempre sob um nevoeiro ou bidimensional. É por causa desse distúrbio que muitas pessoas não conseguem algo teoricamente simples: amar. O distúrbio faz com que a pessoa se sinta um observador externo da própria vida.

Esse problema ainda não é muito conhecido e popular, mas estima-se que ele atinja uma a cada 100 pessoas. Ele pode surgir por motivos como ansiedade extrema, traumas e também pelo uso de entorpecentes. Segundo pesquisas, esse distúrbio é uma forma do corpo se proteger, se “desligar” da realidade para não precisar lidar com momentos de estresse, por exemplo.

As pessoas com despersonalização podem passar por experiências assustadoras, como se estivessem fora de seu corpo ou como se o mundo estivesse em 2D. Elas podem, em determinados momentos, ter percepções totalmente erradas quanto ao mundo em sua volta. Em alguns casos, as pessoas podem ter ataques de pânico por não reconhecerem o lugar onde estão ou as pessoas com quem estão. Não é raro alguém estar em sua própria casa e achar que está em um cenário de cinema, por exemplo.

O transtorno é considerado por especialistas como semelhante a quem tem TOC – transtorno obsessivo-compulsivo e esquizofrenia.

Quem tem o distúrbio, precisa passar por alguns tratamentos, ou terá que conviver com episódios contínuos de despersonalização por toda a vida. O tratamento inclui várias sessões de psicoterapias, como por exemplo a terapia cognitiva comportamental e a psicoterapia psicodinâmina. Em alguns casos, o paciente precisa até mesmo de medicação.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais