Relembre alguns ataques em escolas que aconteceram no Brasil

Comum nos EUA, esse tipo de crime vem se tornando cada vez mais comum no Brasil.

Um dos crimes mais chocantes do mundo tem, infelizmente, se tornado muito comum no Brasil. Tiroteiose ataquesem escolas tem acontecido com cada vez mais frequência em nosso país, trazendo clima de insegurança para um lugar que deveria ser considerado o mais tranquilo para se estar.

Esse tipo de ação criminosa, que sempre foi bastante comum nos EUA, pode ser motivada por muitos fatores. Problemas psiquiátricos e vingança por causa de bullyingsão alguns exemplos disso e são os mais comuns.

Confira abaixo os ataques que aconteceram em escolas brasileiras:

Salvador – 2002

O crime aconteceu na escola particular Sigma e foi executado por um adolescente de 17 anos, que matou duas colegas dentro de uma sala de aula. Em seguida, ele se entregou para a polícia.

Taiúva – 2003

O ataque em Taiúva (SP), realizado por um ex-aluno, de 18 anos, aconteceu na Escola Estadual Coronel Benedito Ortiz e não teve vítimas fatais. O autor do crime atirou contra cinco alunos, o caseiro, a zeladora e uma professora. Um dos estudantes atingidos ficou paraplégico. Após realizar os disparos com um revólver calibre 38, ele cometeu suicídio. As investigações apontaram que ele era vítima de bullying, motivo que pode ter levado ele a cometer o crime.

Realengo – 2011

Um ex-aluno da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, zona Oeste do Rio de Janeiro, causou 12 mortes e deixou 13 crianças feridas após realizar disparos com dois revólveres. O crime aconteceu em abril de 2011, quando o autor tinha 23 anos. Após ser atingido por um policial, ele cometeu suicídio.

São Caetano do Sul – 2011

Em setembro de 2011, um aluno de apenas 10 anos usou um revólver calibre 38 para atirar contra a professora na Escola Municipal Alcina Dantas Feijão, na cidade de São Caetano do Sul (SP). A professora sobreviveu. O estudante disparou contra a própria cabeça após cometer o crime e morreu no hospital.

João Pessoa – 2012

Três alunos ficaram feridos na Escola Estadual Enéas Carvalho depois que dois adolescentes, de 13 e 16 anos, entraram na instituição fazendo disparos de arma de fogo. O alvo dos autores era um estudante de 15 anos, mas dois colegas acabaram sendo atingidos por estarem perto dele no momento do ataque.

Goiânia – 2017

Dois alunos morreram e quatro ficaram feridos em um ataque em outubro de 2017. O crime foi realizado por um estudante de 14 anos, no Colégio Goyases, instituição particular de Goiânia (GO). O responsável pelos disparos é filho de policiais militares e foi apreendido após ser convencido pela coordenadora a travar a arma. Segundo as investigações, a provável motivação para o crime foi bullying.

Janaúba – 2017

Neste caso, o ataque foi realizado através de um incêndio em uma creche de Janaúba (MG). Um segurança do local jogou álcool em diversas crianças e nele mesmo e ateou fogo, deixando oito crianças e uma professora mortas. O autor do crime, de 50 anos, chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Medianeira – 2018

Após planejar o crime por dois meses, um adolescente de 15 anos entrou armado no Colégio Estadual João Manoel Mondrone, em Medianeira (PR). Dois alunos, um de 15 e outro de 18 anos, ficaram feridos. Dois adolescentes foram apreendidos e um deles revelou aos policiais que tinha como alvo pelo menos nove estudantes e que sofria bullying na escola.

Suzano – 2019

O caso mais recente foi na cidade de Suzano (SP), e foi executado por um adolescente de 17 anos e um homem de 25, na Escola Estadual Raul Brasil. Oito pessoas foram mortas e 11 ficaram feridas com o crime. Investigações apontaram que o ataque foi planejado por cerca de um ano. Antes do crime, um dos autores ainda matou um homem em uma loja de automóveis localizada próxima ao colégio. Os autores cometeram suicídio após os disparos na escola.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais