Por que temos pesadelos?

Os pesadelos são consequências de situações e o responsável por sua existência é o nosso cérebro.

Todos nós sonhamos durante a noite, mesmo quando não nos recordamos ao acordar. Alguns sonhos costumam ser bons e outros podem ser terríveis, contendo cenas que nos deixam até com dificuldade para dormir novamente.

Os pesadelos, assim como os sonhos bons atingem metade da população mundial de forma esporádica, e entre 2% e 8% das pessoas tem sonhos ruins com bastante frequência. Os sonhos começam a acontecer em nossa vida a partir dos quatro anos de idade e nos acompanham até o dia de nossa morte. Durante a infância, a frequência dos sonhos é maior porque nosso cérebro está amadurecendo e se consolidando. Quando chegamos a vida adulta, os sonhos costumam diminuir, porém nunca chegarão ao fim.

Os sonhos, independentemente de serem bons ou ruins, acontecem durante uma fase do sono chamada de REM – Rapid Eye Movement, que significa “movimento rápido dos olhos”. Durante essa fase, nossos olhos se movem de maneira rápida e nosso cérebro trabalha de forma similar àquela de quanto estamos acordados. De maneira inconsciente, processamos informações e memórias. Porém, para que nosso corpo não se movimente de acordo com o sonho, o cérebro bloqueia os neurônios motores. Esse estágio do sono tem duração de cerca de 30 minutos e pode acontecer até seis vezes por noite.

Como os sonhos bons, os pesadelos são a reflexão de situações que vivemos durante o dia ou que não conseguimos lidar de maneira clara. Estresse, tristezas, traumas e situações desagradáveis vividas, noites de sono mal dormidas e até mesmo alguns medicamentos podem fazer aumentar as chances de você ter um pesadelo enquanto dorme.

Quando os pesadelos acontecem de maneira ocasional, eles são considerados normais e não são motivo de preocupação. Quando eles passam a acontecer de forma contínua ou repetitiva, é sinal de que algo está errado ou está acontecendo. Nesses casos, é recomendável procurar ajuda médica. Não é possível evitar totalmente que tenhamos pesadelos, mas, dependendo das causas, eles podem ser evitados eliminando o fato causador. Quando, por exemplo, a motivação do pesadelo é algum trauma vivido, um psicólogo ou terapeuta pode indicar algum tratamento e resolver ou amenizar o problema.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais