Por que gostamos de pimenta, mesmo ela causando ardência na boca?

A explicação é semelhante a que fala sobre o motivo de gostarmos de filmes de terror.

A pimenta é um dos temperos mais usados no mundo. Ela faz parte de muitos tipos de gastronomia e pode ser encontrada para agradar diversos paladares. Há quem goste apenas de sentir ela de forma suave nos alimentos, mas também existem pessoas que gostam quando ela está bem presente. Quando é forte, ela provoca uma sensação de queimação na boca, resultando em muita sede. Então, por que apesar do desconforto, as pessoas gostas de comida apimentada? Existem algumas explicações para essa pergunta.

Primeiro, é importante entender que a pimenta é uma planta que, ao longo de sua evolução, foi desenvolvendo sua ardência como uma forma de defesa. Para a grande maioria dos animais, a forma como evoluiu conseguiu repassar para os animais a imagem de que ela representava um perigo.

Veja também: Pratos estranhos consumidos pelo mundo

Por causa de seu gosto picante, insetos e mamíferos passaram a não consumi-la. Os únicos animais que conseguem consumir essa especiaria sem ter problemas. No caso dos mamíferos, somente o ser humano e o musaranho chines a ingerem.

Uma hipótese, apresentada em 1998, pelos biólogos Jennifer Billing e Paul W. Sherman, indica que essa paixão pela pimenta é por causa da ação antifúngica e antibacteriana. Um estudo apontou que o alimento é usado principalmente em regiões quentes, para ajudar na conservação dos alimentos.

Foto: PixabayA pimenta é um condimento que foi adotado em diversas culinárias ao redor do mundo.
A pimenta é um condimento que foi adotado em diversas culinárias ao redor do mundo.

Outra teoria aponta que o consumo da pimenta está, involuntariamente, ligada à sensação da emoção. Ela aponta que esse relacionamento entre homem e pimenta é chamado de “risco restrito”. Antigamente, ao comer pimenta, as pessoas estariam em busca de fortes emoções. Hoje em dia, essa hipótese “perdeu” a força, visto que temos outras formas de buscar adrenalina, como em um parque de diversões, por exemplo.

Ao longo da evolução, o ser humano foi aprendendo que determinadas situações não representavam um risco real, mesmo que a sensação que sentia apontasse perigo. Por isso, a pimenta passou a ser incluída na alimentação.

Essa reação é semelhante ao momento em que assistimos filmes de terror. Mesmo que eles sejam assustadores, gostamos de assistir pois temos certeza de que, na realidade, nada acontecerá.

Descubra também: Quais as pimentas mais fortes do mundo?

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais