Por que existe horário de verão no Brasil?

Com o horário de verão, as luzes são ligadas mais tarde, gerando economia de energia.
Foto: Reprodução internetHorário de verão

O horário de verão foi criado por um motivo: economizar no consumo de energia. Como no verão os dias são mais longos e as noites mais curtas, essa medida faz com que as luzes sejam ligadas mais tarde. O horário de verão só é eficiente e existe nos locais mais afastados da Linha do Equador, pois nas regiões próximas a ele, o dia tem a mesma duração no ano todo.

O motivo dos dias serem mais longos durante o verão é devido ao fato de a Terra ser inclinada em relação ao plano de sua órbita em relação ao sol.

A ideia de criar um horário diferenciado foi do construtor britânico William Willett e foi colocada em prática pela primeira vez em 1916, na Alemanha, durante a Primeira Guerra Mundial. A razão pra isso era que se economizasse o cartão utilizado na época.

No Brasil, o horário de verão foi aplicado pela primeira vez em 1931, e a partir de 1985 sua prática passou a acontecer anualmente, permanecendo até os dias de hoje.

Curiosidade

Segundo pesquisas, o horário de verão pode trazer cinco efeitos para a vida das pessoas. São eles: aumento das atividades físicas, principalmente em crianças; prejudica o coração, aumentando o número de infartos; causa mais acidentes fatais, principalmente automobilísticos; aumenta o sono na escola, levando certo tempo para os alunos se adaptarem ao novo horário; e faz com que a pessoa “enrole” na internet no lugar de trabalhar.

Estados com horário de verão

Os estados do Brasil que praticam o horário de verão são: Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás e Distrito Federal. Para os demais estados brasileiro, o horário não sofre alteração, pois não seria vantajoso aplicar o horário de verão nesses estados.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais