Por que e como os vaga-lumes “piscam”?

Esses insetos são os maiores produtores de luz do mundo!

Os vaga-lumes são insetos conhecidos por uma característica bastante particular. No verão sua aparição é bem comum e sua identificação muito fácil, afinal, “brilhar” não é pra qualquer animal. Os cientistas chamam esse processo natural de bioluminescência.

Esses insetos, que são classificados como besouros alados e existem em mais de 2 mil espécies diferentes (só no Brasil existem 500 delas), acendem sua luz por diversos motivos. O papel do brilho na fase de larva é por uma questão de sobrevivência: informar aos predadores que eles são tóxicos. Componentes químicos fazem com que o vaga-lume continue brilhando após passar da fase larval e virar um adulto.

A luz é o resultado da mistura de oxigênio, enzima luciferase, um pigmento chamado luciferina e adenosina trifosfato. Juntos, esses componentes forma uma reação chamada oxidação biológica e fazem com que o inseto se torne tóxico e ativam os cristais de ácido úrico, que agem como um refletor e emitem a luz para fora do corpo do vagalume.

Foto: Reprodução InternetOs besouros alados são divididos em três famílias: os vaga-lumes (lampirídeos), os bondinhos (fengodídeos) e os pirilampos (elaterídeos).
Os vaga-lumes são divididos em três famílias.

 

Outro motivo para os vaga-lumes brilharem é o acasalamento. É através da luz emitida por eles que esses insetos atraem parceiros.

A luz produzida pelos vagalumes é diferente, de acordo com sua espécie. A coloração do brilho deles pode variar do vermelho ao verde, passando por cores intermediárias. Quem determinará qual será a cor emitida pelo inseto é a proteína catalisadora da reação bioluminescente.

Os besouros alados são divididos em três famílias: os vaga-lumes (lampirídeos), os bondinhos (fengodídeos) e os pirilampos (elaterídeos).

Os vaga-lumes têm suas lanternas localizadas na parte do abdômen. Já os pirilampos possuem um par de lanternas verdes no tórax e os bondinhos, onze pares de lanternas nas laterais ao longo do abdômen.

Esses insetos, que podem viver até 3 anos, podem ter de 1 a 3 centímetros e é encontrado em todos os continentes do planeta, exceto na Antártida. Apesar de poderem ser encontrados nas cidades por algumas vezes, seu habitat natural são as florestas úmidas e matas, além de campos e cerrados. Brejos e regiões alagadas também são locais onde eles gostam de ficar.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais