Peixe-elétrico encontrado na Amazônia tem choque de 860 volts

Essa espécie de poraquê foi descoberta após cinco anos de pesquisa e é a que possui descarga elétrica mais forte.

Os rios e mares são o lar de uma infinidade de animais. Com diferentes tamanhos, cores e características, além de terem jeitos bem particulares de capturarem suas presas. Um dos predadores mais poderosos utiliza a eletricidade para conseguir alimento. E, o peixe-elétrico com a descarga de energia mais alta é brasileiro.

Descoberto entre os igarapés dos rios Xingu e Tapajós, na Floresta Amazônica, o peixe-elétrico poraquê recebeu o nome científico de Electrophorus voltai em homenagem ao físico Alessandro Volta (criador da bateria elétrica). Esses animais podem ultrapassar os dois metros de comprimento.

A espécie, que vive em grupos de até dez membros, pode produzir uma carga elétrica de 860 volts. Além da voltagem, esse animal ainda tem um processo de sequenciamento de DNA diferente dos outros Electrophorus.

O animal foi descoberto pelo pesquisador brasileiro Carlos David de Santana, após cinco anos de estudo. A novidade foi publicada em um artigo na revista Nature Communications. A pesquisa foi feita em um projeto da Fundação de Ampato à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), além de receber apoio financeiro da National Geographic Society e apoio do Museu de Zoologia da USP.

Foto: Douglas Bastos/Arquivo Pessoal/BBC NewsO Electrophorus voltai possui uma descarga elétrica superior a 800 volts.
O Electrophorus voltai possui uma descarga elétrica superior a 800 volts.

Apesar da alta voltagem do choque produzido por essa espécie de poraquê, a descarga de um peixe não é o suficiente para matar uma pessoa, por exemplo. O motivo é que a energia é liberada pelo animal por, no máximo, dois segundos. Após esse tempo, ele precisa “recarregar”.

Porém, a situação é diferente quando o peixe está em grupo. Quando um membro do grupo começa a liberar energia, os demais também passam a ter tal reação. Nesse caso, se uma pessoa fosse atingida pelos choques, morreria por afogamento ou parada cardíaca.

Outras espécies

Juntamente com o Electrophorus voltai, foi descoberta a espécie Electrophorus varii, que emite um choque inferior.

Antes dos pesquisadores tomarem conhecimento a respeito desses dois peixes, acreditava-se que existia apenas uma espécie de poraquê, o Electrophorus electricus, descoberto em 1766 pelo naturalista sueco Carl Linnaeus. Nesse animal, que vive em rios da Bacia Amazônica, a descarga elétrica atinge 650 volts.

Veja também: Por que o bicho-preguiça faz tudo de forma lenta?

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais