O que realmente acontece com os votos brancos e nulos de uma eleição?

Um dos maiores boatos que assombram os eleitores é o que acontece com esses votos!Quando as eleições vão se aproximando, muitas dúvidas a respeito do assunto surgem na cabeça dos cidadãos. Um dos maio

Quando as eleições vão se aproximando, muitas dúvidas a respeito do assunto surgem na cabeça dos cidadãos. Um dos maiores boatos que assombram os eleitores é o que acontece com votos nulos e brancos.

Você já deve ter ouvido que quando uma eleição tem 50% de votos nulos, ela precisa ser cancelada, ou que os votos em branco são automaticamente computados para o candidato que estiver com o maior número de votos.

Porém, essas duas afirmações são totalmente falsas. Esses dois tipos de votos existem apenas para fins estatísticos, sendo na prática inutilizáveis para o resultado da eleição. E você sabe a diferença desses votos?

O voto é considerado nulo quando o eleitor digita na urna um número que não pertence a nenhum candidato e em seguida aperta a tecla “confirma”. Quando as eleições ainda aconteciam com cédulas de papel, os votos considerados nulos eram aqueles em que o eleitor não identificava corretamente o candidato através do nome e número, ou quando o papel continha “elementos estranhos”, como por exemplo, frases de protestos ou desenhos.

O voto em branco é quando o candidato aperta a tecla “branco” existente nas urnas. Ele não é computado para nenhum dos candidatos na hora da apuração dos votos. Quando os votos aconteciam no papel, os votos em branco eram aqueles onde o eleitor depositava o papel na urna sem assinalar nenhuma das opções.

Acredita-se que o mito a respeito dos votos nulos surgiu a partir de uma interpretação errada do Código Eleitoral. Em um de seus artigos, ele diz que “se a nulidade atingir a mais de metade dos votos do País nas eleições presidenciais”, novas eleições devem ser convocadas dentro do prazo máximo de 40 dias.

Porém, quando se refere à nulidade, não está ligado aos votos nulos, e sim a fatos que podem tornar o candidato inelegível. Um exemplo disso é quando um candidato a prefeito é eleito, mas é condenado por compra de votos e consequentemente, cassado. Nesse caso, é preciso realizar uma nova eleição para que um candidato apto possa ganhar as eleições e assumir o cargo.

Foto: Reprodução Internetvoto

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais