O que foi a Guerra dos Farrapos?

Essa revolta foi promovida principalmente por criadores de gado e fazendeiros, que lutavam contra o domínio do governo imperial.

O Brasil é conhecido por ser um país pacífico, que não se envolve em conflitos armados e tem uma boa relação com a maioria das nações. Mas, no território brasileiro, nem sempre foi assim. Ao longo da história, muitos conflitos foram registrados em nossas terras. A Guerra dos Farrapos é um desses casos, que é famosa por ter sido a revolta civil mais longa do país.

Ocorrida entre 1835 e 1845 no Rio Grande do Sul, ela também é chamada de Revolução Farroupilha. Essa revolta foi promovida principalmente por criadores de gado e fazendeiros, que lutavam contra o domínio do governo imperial. O número de mortes causados pela guerra é desconhecido, mas acredita-se que seja uma grande quantia, quando comparado com a população da época.

A insatisfação dos gaúchos começou em 1831, quando o imperador Dom Pedro I abriu mão do seu cargo para que seu filho Dom Pedro II governasse. O problema é que, nesta época, ele era apenas uma criança. Com isso, iniciou-se um período de Regência, onde um governo de transição comandava o país, até que Dom Pedro II tivesse idade para assumir o posto.

Na época, o Rio Grande do Sul ainda era a província de São Pedro do Rio Grande do Sul, e a região sofria com a cobrança de altos impostos sobre seus principais produtos: erva mate, charque, couro, sebo e graxa. Esses valores abusivos causavam revolta, principalmente nas pessoas que simpatizavam com os ideais republicanos. A insatisfação dos gaúchos aumentou ainda mais quando, em 1835, Antônio Rodrigues Fernandes Braga se tornou presidente da província. Suas ideias não agradaram a população e geraram muita discussão.

A Guerra dos Farrapos teve início no dia 20 de setembro de 1835, quando o general Bento Gonçalves liderou revolucionários a tomarem a cidade de Porto Alegre e tiraram as tropas imperiais a força. Foi exigido também a nomeação de um novo presidente, mas que também não agradou aos envolvidos na revolta. Com o passar dos anos, a revolução ganhou caráter separatista.

Descubra: Como surgiram as primeiras armas de fogo?

Foto: Painel feito por Guido MondinA Guerra dos Farrapos foi o conflito mais longo do Brasil.
A Guerra dos Farrapos foi o conflito mais longo do Brasil.

As batalhas aconteciam no sistema guerrilha a cavalo, motivo que fazia com que os conflitos e tomadas de cidade fossem demorados. Segundo o historiador Moacyr Flores, somente os oficiais usavam uniformes durante as lutas, o que dificultava a identificação dos demais farroupilhas por parte do Império.

Em 1836, a revolução ganhou força e foi proclamada a independência da República de Piratini (que se tornou capital com o novo governo). Também chamada de República Rio Grandense, ela teve como presidente Bento Gonçalves. O governo imperial, contrário às mudanças que estavam sendo impostas, lutou contra os revoltados. Eles chegaram a prender o líder da Guerra dos Farrapos, porém a revolta já estava consolidada e possuía fortes nomes no comando, como David Canabarro, o general Antônio Souza Netto e o italiano Giuseppe Garibaldi. Os participantes da revolução conseguiram novas vitórias e, em 1839, conquistavam a cidade de Laguna (SC), onde proclamaram a República Juliana.

No ano de 1940, Dom Pedro II assumiu o governo com o objetivo de pacificar o país. Seu maior desafio era encerrar as revoltas que aconteciam em território gaúcho, que já se espalhavam por várias províncias. As revoluções começaram a ser contidas em 1942, quando as forças militares sob comando de Luiz Alves de Lima e Silva (conhecido como Duque de Caxias) recuperaram cidades que estavam tomadas pelos farroupilhas.

A Guerra dos Farrapos chegou ao fim em 1 de março de 1945, após diversas derrotas. Os líderes ainda conseguiram negociar com Duque de Caxias e aceitaram um acordo com o Império, chamado de Tratado de Ponche Verde. Os envolvidos na revolta receberam anistia do governo e o território foi reintegrado.

Veja também: Os 10 conflitos armados que mais fizeram vítimas

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais