O que era o emparedamento, uma das piores torturas já feitas?

Além de ser utilizado para torturar uma pessoa, ele servia para a realização de sacrifícios humanos.

Quando o assunto é tortura, as civilizações antigas são campeãs no assunto. Seja como forma de punição ou como uma forma de cumprir rituais, diversas formas de torturar uma pessoa foram inventadas há muitos anos atrás e hoje elas assustam muita gente.

É o caso do emparedamento. Essa é uma das formas de torturas que tem um lugar na lista de mais cruéis. O motivo? Ela leva a pessoa a morte de forma lenta. Como o próprio nome sugere, o torturado era colocado vivo em um local fechado, onde iria a óbito por fome, desidratação ou asfixia. Mas, esse ato também era utilizado em rituais como forma de sacrifício humano, para diversas finalidades, como, por exemplo, proteger uma cidade.

Quando era feito em forma de punição, o emparedamento consistia em trancar a pessoa em caixões, caixotes ou atrás de paredes. Durante a Idade Média, a igreja Católica utilizava tal modo para punir monges e freiras acusados de heresia. Após esse período, pessoas foram encontradas na Ásia e no Oriente Médio após serem torturadas de forma semelhante, mas dessa vez, presas em caixas fechadas ou enterrados até o pescoço.

Foto: Reprodução InternetO emparedamento foi uma das formas mais cruéis de tortura utilizados por povos antigos.
O emparedamento foi uma das formas mais cruéis de tortura utilizados por povos antigos.

Essa forma de tortura era utilizada anteriormente na Roma Antiga, quando alguma virgem vestal (virgens devotas a deusa Vesta) precisava ser punida. Os castigos para elas não poderiam acontecer com derramamento de sangue, então trancafiá-las para morrer por asfixia era uma das opções, assim como derramar chumbo derretido na garganta. No caso delas, as vítimas eram presas em câmaras localizadas na entrada do Templo de Vesta, com um pouco de água e comida, prolongando assim o sofrimento.

Em toda a Europa essa forma de tortura era conhecida e praticada. Historiadores encontraram diversos locais de emparedamento onde as vítimas eram crianças. Nesses casos, o motivo de tal ato era os sacrifícios humanos. Eles acreditavam que a pureza e inocência das crianças sacrificadas traria boa sorte para a cidade e ajudaria a proteger edificações importantes, como igrejas, pontes, castelos e fortalezas, tornando-as invencíveis. Alguns exemplos de locais onde pessoas foram trancafiadas são a Ponte de Bremen e o Castelo de Burg Reichenstein, na Alemanha, e uma igreja em Holsworthy, na Inglaterra.

Veja também: 10 instrumentos de tortura usados na Idade Medieval

Veja também: Esteira ergométrica é derivada de máquina de torturar prisioneiros

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais