O que é feito com o lixo hospitalar?

Jogar um papel de bala no chão já é prejudicial ao meio ambiente, mas descartar de forma errada o lixo hospitalar causa danos muito maiores. Confira o que deve ser feito com esses resíduos.

O lixo é um grande problema existente em nosso planeta, pois os danos que ele causa ao meio ambiente são elevados. E quando se trata de lixo hospitalar, a preocupação é dobrada e os riscos são elevados.

O lixo hospitalar é o lixo proveniente do atendimento de pacientes, tanto seres humanos quanto animais. Eles são contaminados com sangue, medicamentos, com material biológico patogênico, substâncias tóxicas, inflamáveis e até mesmo radioativas. Se tratam das seringas, materiais plásticos, luvas, peças anatômicas, dentre muitos outros materiais.

Os resíduos foram divididos pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) em cinco grupos: A, B, C, D e E.

Foto: Reprodução Internetlixo hospitalar

O grupo A são os resíduos potencialmente infectantes, com agentes biológicos com risco de transmitir infecções, como por exemplo, as bolsas de sangue.

Os resíduos químicos, independente se tem características inflamáveis, corrosivos, de reatividade ou toxicidade, pertencem ao grupo B. Esses resíduos, podem  ser, por exemplo, medicamentos para tratamento de câncer e substâncias para revelação de Raio-X.

No grupo C, estão classificados os rejeitos que contenham material radioativo acima do padrão permitido e não podem ser reutilizados, como exames de medicina nuclear.

O grupo D são os resíduos chamados de comuns, que não podem causar acidentes e não tem capacidade de contaminação, como luvas, gesso, gazes, matérias com possibilidade de serem reciclados e papéis.

Os materiais perfurocortantes, que podem causar cortes ou perfurações ficam no grupo E. Esse grupo é composto por agulhas, ampolas de vidro, bisturis, entre outros.

De todos esses grupos, o de maior risco ambiental é o grupo A (infectantes).  Eles podem causar graves contaminações ao solo e a água, além de trazerem malefícios para quem os manuseia, quando a pessoa não toma os cuidados necessários.

O descarte de lixo hospitalar, quando feito de maneira correta, é feito através de empresas especializadas. Elas recolhem o lixo nos hospitais, clínicas e demais locais que contenham esse lixo. Essas empresas possuem fornos feitos especialmente para a incineração do material.

Porém, infelizmente, em muitas vezes, não é esse o procedimento que acontece. Muitas instituições ainda não se conscientizaram sobre esse problema, e descartam os materiais juntamente com lixo comum, ou contratam empresas que irão descartar o lixo terrenos de aterro sanitário ou outro lugar indevido.

Os remédios que usamos em casa também não devem ser descartados no lixo comum. Eles também poluem o meio ambiente e podem causar contaminação. Normalmente podemos encontrar campanhas de arrecadação/recolhimento de medicamentos vencidos em postos de saúde, hospitais, clínicas médicas particulares e demais estabelecimentos de saúde.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais