Larva de mosca contribui para o aquecimento global

Um estudo feito recentemente mostrou que o homem não é o único a causar o efeito estufa e o aquecimento global.

O aquecimento global é um dos temas que nunca sai da pauta quando o assunto é preocupação com nosso planeta. Responsável pelo aquecimento do planeta e com consequências prejudiciais a natureza e a vida terrestre, o aquecimento global é causado pela emissão de gases que produzem o efeito estufa. Uma das consequências mais conhecidas do aquecimento global é o derretimento das geleiras.

Os gases do efeito estufa são produzidos, principalmente, pelo homem, através dos carros, indústrias, etc. Recentemente, um estudo publicado pela Scientific Reports revela que não somos os únicos culpados pelo aquecimento global.

A pesquisa, liderada pela Universidade de Genebra, na Suíça, apontou que a larva Chaoborus sp emite grande quantias de gás metano e afeta significativamente a atmosfera.

Foto: Reprodução InternetLarva de mosca
Larva de mosca

Essa larva vive em lagos do mundo todo (com exceção da Antártida) e parte de seu ciclo de vida acontece a uma profundeza de quase 70 metros. Durante o dia, ela se protege de predadores no leito dos lagos e sai a noite para a superfície a fim de se alimentar.

Ela contém vesículas – bolsas de ar – que regulam seu volume para que a larva possa se locomover dentro da água. Para encher essas vesículas, elas fazem uso do gás metano (CH4) que encontram nos leitos dos lagos. Quando chegam à superfície, elas liberam o gás na superfície.

Quando estão a uma profundeza de 70 metros, a Chaoborus sp não consegue inflar e desinflar suas bolsas de ar por causa da pressão da água, por isso precisam recorrer ao gás metano. Como o gás metano é pouco solúvel na água e está presente em grandes quantidades quando falta oxigênio, ele permanece na água em forma de borbulhas. São essas borbulhas que a larva absorve para fazer a locomoção e conseguir chegar a superfície.

Com a ajuda do gás metano, a larva economiza até 80% de sua energia, reduz a quantidade de alimentos que precisa ingerir e consegue expandir seu habitat.

É na água doce que acontece 20% da emissão do gás metano. O normal seria o gás se isolar e ficar depositado no sedimento de lagos, mas graças a essa larva, as chances de ele chegar a atmosfera são bastante grandes.

A larva gosta de habitar em lagos com água de baixa qualidade e muitos nutrientes. Em cada metro quadrado de água, é possível encontrar de 2 mil até 130 mil larvas.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais