Lambidas de cachorros podem fazer mal para a saúde humana?

É preciso que os tutores tenham alguns cuidados para manter a própria saúde e também a dos animais.

Nos últimos anos, o mundo tem sofrido inúmeras modificações culturais e comportamentais. Uma delas é em relação aos animais de estimação. Hoje, eles não são apenas bichos, são parte da família, o que torna o contato físico com os humanos algo mais frequente e íntimo. As lambidas no rosto são um bom exemplo disso.

Apesar das lambidas serem uma demonstração de afeto e submissão, elas pode oferecer riscos à saúde. De acordo com especialistas, é preciso tomar cuidado com o contato animal em algumas regiões do corpo, como boca, nariz, olhos e também com feridas. O microbiologista Ignacio López-Goñi alerta que o perigo é devido ao fato dos cães lamberem fezes e outros animais, além de ambientes na rua, frequentado por cachorros desconhecidos.

Com o contato, existe a possibilidade de transmitir patógenos como bactérias, fungos, vírus e parasitas. Essa contaminação pode resultar em infecções bacterianas como, por exemplo, a Salmonella.

Porém, apesar do risco, isso não significa que as pessoas devem deixar de brincar e dar atenção aos cães. Pelo contrário, o contato com os animais desde a infância diminuir os riscos da pessoa ter alergias e asma. O cuidado deve ser apenas com partes do corpo mais sensíveis, como a boca, e com machucados, pois são locais onde as bactérias e fungos conseguem entrar no interior do corpo com maior facilidade. 

Foto: PixabayDe acordo com especialistas, é preciso tomar cuidado com o contato animal em algumas regiões do corpo, como boca, nariz, olhos e também com feridas.
De acordo com especialistas, é preciso tomar cuidado com o contato animal em algumas regiões do corpo, como boca, nariz, olhos e também com feridas.

Outra forma de garantir um contato seguro com os cachorros é mantendo as vacinas em dia. Ao adotar ou comprar um animal, é preciso leva-lo ao veterinário e cumprir o protocolo de vacinação indicado pelo profissional, pois ajudará a evitar problemas de saúde para os tutores e, principalmente, para os animais.

A limpeza do ambiente em que o animal permanece também é importante para evitar a proliferação de doenças. Os humanos devem mantê-lo limpo, retirando fezes e urina.

Além disso, os humanos possuem outro hábito que pode ser prejudicial, mas, dessa vez, para a saúde dos animais. Não é difícil encontrarmos tutores que não resistem às expressões dos animais e dividem seus alimentos com os bichos. Porém, esse comportamento pode ser perigoso, pois o sistema digestivo dos animais é diferente das pessoas.

Entre os alimentos consumidor por nós, muitos deles fazem mal para os animais de estimação e não podem ser ingeridos por ele. Antes de introduzir alimentos além da ração na alimentação dos cães, é preciso consultar um médico veterinário.

Confira: 14 alimentos que os cães não devem comer

Veja também: O que é a Leishmaniose e por que devemos nos preocupar com ela?

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais