Esteira ergométrica é derivada de máquina de torturar prisioneiros

Sinônimo de tortura antigamente, hoje ela é um dos aparelhos mais usados nas academias.

Agora você descobriu por que as horas de esteira na academia são uma tortura, não é mesmo? Pois é! A esteira ergométrica foi criada originalmente para torturar prisioneiros no início do século XIX.

Há todo um contexto para a criação de tal instrumento, que hoje é procurado para auxiliar a massa de pessoas fitness que buscam queimar a massa ingerida.

Na Inglaterra do século XIX, o sistema carcerário britânico era extremamente rígido e até mesmo desumano. Resumia-se basicamente a manter os presos em celas sujas até que chegasse o momento de sua sentença que era em maioria a execução, deportação ou continuar aprisionado em celas pequenas, sujas e solitárias.

Com isso surgiram movimentos religiosos e filantrópicos que lutaram para que fosse dado um trato social mais digno àqueles que cometeram delitos cuja gravidade não era absurda. Um dos métodos adotados na reforma carcerária foi a punição chamada de “treadmill” que fazia referência a moinhos rolantes.

A primeira “esteira” criada foi pelo engenheiro Sir William Cubbit, em 1818. Ela foi construída em um tamanho grande, com pás grandes que permitiam que vários presos pudessem ser torturados ao mesmo tempo. Eles pisavam nas pás direcionando-as para baixo. Caminhavam como em uma escada rolante, porém eram eles mesmos a ignição.

A esteira criada e “movida” pelos prisioneiros era fonte de energia para moer grãos, bombear água e até mesmo gerar energia para moinhos. Dessa forma, a reforma carcerária encabeçada por grupos religiosos e filantrópicos acabou sendo responsável por reerguer a economia inglesa que na época estava abalada com o resultado da guerra napoleônica.

Se não fosse a carga horária de seis horas por dia de exercícios que os prisioneiros eram submetidos, a esteira ajudaria os presos a manterem a forma e a economia inglesa a se reerguer. Porém, o excesso de tempo acabava causando machucados nos presos que chegavam a cair devido a exaustão. Segundo relatos, os presos subiam tantos degraus que subiam cerca de 4,2 mil metros por dia. Ou seja, quase metade da altura do monte Everest.

E você aí reclamando daqueles 30 minutos de esteira, né?!

Foto: Reprodução Internetesteira

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais