Conheça a nova surpresa do mercado: a moeda digital

Assim como diversas áreas, a economia também se modernizou.

A moeda bitcoin foi criada há mais de nove anos. A queridinha dos investidores já é aceita como forma de pagamento em alguns países. A grande diferença da bitcoin para o real e dólar é que a mesma não é uma moeda física, mas sim totalmente virtual.

Não existe um Banco Central controlando a emissão dessas moedas. Sua produção é feita de maneira descentralizada por milhares de computadores, que são mantidos por pessoas que disponibilizam a capacidade das máquinas para a criação das moedas e o registro das transações realizadas.   

Como é o processo?

A moeda bitcoin nasce de um processo chamado mineração. Os computadores são conectados à rede e fazem uma competição para a resolução de problemas matemáticos. Quem vence a resolução, consegue um bloco de moedas. Os desafios sofrem ajustes no grau de dificuldade de acordo com a rede, isso acontece para que a moeda cresça conforme a faixa de limite que é de 21 milhões até o ano de 2140. Satoshi Nakamoto, criador da moeda, foi quem estipulou esse teto. A identidade do idealizador ainda não foi comprovada e segue sendo um grande mistério.

Quem pode criar bitcoins?

Em 2009 qualquer pessoa com software  podia ser um “mineiro” sob condição de estar sempre com o computador ligado por dias e noites.  Como o número de interessados teve grandes proporções, a missão de criar bitcoins ficou exclusivamente para os detentores de super máquinas. 

O software cria uma espécie de carteira no momento do cadastro, onde são guardadas as moedas virtuais.

Com as moedas bitcoins você pode comprar serviços e produtos em todo o mundo. Poucos estabelecimentos aceitam, mas países como a Rússia onde acontecerá a próxima Copa do Mundo já faz uso “regular” da moeda.  O Japão também aderiu bitcoin como forma legal de pagamento.

Confira também: Como o dinheiro surgiu?

Foto: Reprodução Internetbitcoins

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais