Como surgiu o salário?

Saiba qual a origem do salário.

Todos nós trabalhamos com um principal objetivo: receber o salário no fim do mês. Todos nós temos contas a pagar e o dinheiro acaba se tornando um item essencial em nossa vida. E uma coisa vai dependendo da outra. Sem emprego: sem salário. Sem salário: sem dinheiro. Sem dinheiro: contas não são pagas.

A remuneração surgiu antes mesmo da invenção da moeda. Há muitos anos atrás, o pagamento pelo trabalho era feito através de mercadorias, como animais, peles e sal. Porém, esses pagamentos não eram considerados como remuneração, mas sim uma troca.

A palavra salário vem do latim salarium argentum, que significa “pagamento em sal”. Ela surgiu por causa do sal, que era usado como forma de pagamento aos soldados romanos, que prestavam serviço ao império. Como o sal tinha muitas utilidades e era raro, ele tinha um alto valor, sendo considerado, inclusive, um alimento divino, uma dádiva fornecida por Salus, deusa da saúde.

Porém, nessa época, ainda não existia a ideia de que um trabalhador deveria receber pago por seus serviços. Na Idade Média, o que os servos ganhavam em troca do trabalho, eram as terras onde poderiam cultivar para seu próprio sustento. Mais tarde, eles passaram a vender o que produziam.

O salário como conhecemos hoje, surgiu somente na segunda metade do século 14, com o declínio do poder feudal.

Foto: Reprodução internetSalário
 

Salário mínimo

O salário mínimo foi criado com o objetivo de satisfazer as necessidades básicas de uma pessoa. O valor mínimo a ser pago para um trabalhador é definido pelo governo e é calculado de acordo com o número de horas trabalhadas.

No Brasil, além do salário mínimo, existe o piso regional, que é determinado por um acordo entre governo e sindicatos. O salário mínimo foi instituído pelo governo brasileiro por meio da Lei nº 185 de janeiro de 1936 e pelo Decreto-Lei nº 399 de abril de 1938.

Veja também: Como surgiu o dinheiro?

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais