Como surgiu o chiclete?

Descubra como surgiu o chiclete e como é o processo de fabricação desse doce.

O chiclete, ou goma de mascar, é um dos doces favoritos das crianças e também de muitos adultos. Fabricado em diversos sabores e por diversas marcas, o chiclete faz parte da infância das crianças em quase todas as culturas.

Foto: Reprodução Internetchiclete
 

Em 1872, Thomas Adams fabricou o primeiro lote de chiclete em formato de bola. Mas, muito antes disso, povos antigos – como os gregos, maias e astecas – já possuíam o hábito de mascar a resina extraída das árvores. Adams aromatizou as resinas naturais com extrato de alcaçuz e, nas décadas seguintes ao primeiro lote fabricado, precisou abrir diversas fábricas para atender a demanda dos consumidores americanos.

Depois da Segunda Guerra Mundial, a resina natural foi substituída por substâncias sintetizadas a partir do refino do petróleo. Essa troca aconteceu por causa dos custos de fabricação, que eram mais caros quando usado resina natural.

A partir de 1960, os chicletes foram ficando mais variados, surgindo a versão sem açúcar, que segundo os fabricantes, evitam o aparecimento de cáries e ajudam a manter os dentes limpos.

Prejudicial à saúde

Apesar de gostoso, a goma de mascar pode ser um problema. Crianças que consomem o produto podem engoli-lo, podendo ocasionar no bloqueio das vias aéreas ou a interrupção do fluxo intestinal. Além disso, mascar o chiclete de estômago vazio pode causar problemas estomacais, pois a mastigação faz com que o estômago produza enzimas gástricas de maneira desnecessária.

Foto: Reprodução Internetchiclete

Fabricação

Como quase tudo no mundo, o fabricação do chiclete acontece por etapas.

1 – Usando borracha sintética, parafina, substâncias emulsificantes, antioxidantes e carbonato de cálcio, é fabricada a goma base. Esses ingredientes são misturados em panelas aquecidas, com pás que giram para deixar o produto homogêneo. Quando a mistura está pronta, ela é despejada em pequenas placas e resfriada em temperatura ambiente.

2 – Nas empresas de chiclete, a goma base é derretida e nela são acrescentados o açúcar, o corante, o aroma, ácidos cítricos e glicerina. Depois, ela é despejada novamente em placas e resfriada.

3 – Depois de frias e endurecidas, o chiclete passa por uma máquina que corta o produto em tiras finas e compridas, e depois fatiadas do tamanho do chiclete. Quando se trata de chiclete recheado, o recheio é injetado dentro da goma antes das tiras serem fatiadas. Os que são cobertos por uma “casquinha”, são banhados em um xarope feito de açúcar ou adoçante.

4 – Por último, o produto é embalado, seja com papel, plástico ou colocado dentro de caixinhas.

Foto: Reprodução Internetchiclete
 

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais