Como surgiram os agrotóxicos?

Descubra como esse "veneno" foi criado. Ele está mais presente em nossas vidas do que imaginamos!

Você com certeza já ouviu alguém falar que devemos lavar muito bem as frutas, legumes e vegetais que compramos por causa da presença de agrotóxicos, certo? Em muitos casos, as cascas são retiradas para evitar que esses produtos tóxicos sejam ingeridos para dentro do nosso organismo. Porém, os agrotóxicos podem chegar até nossas mesas através da água e também de carne animal. Aproximadamente um terço do que comemos, contém agrotóxicos.

Os agrotóxicos são muito utilizados em plantações e tem como principal função combater pragas, doenças e ervas daninhas.

Foto: Reprodução InternetAgrotóxicos

Surgimento

Os agrotóxicos foram criados durante a Primeira Guerra Mundial. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele passou a ser muito utilizado como arma química. Com o fim da guerra, ele passou a ser usado nas plantações.

No ano de 1874, Othomar Zeidler sintetizou o primeiro agrotóxico, composto orgânico chamado de DDT. Porém, s propriedades inseticidas desse composto só foram descobertas em 1939, por Paul Muller. A descoberta, que revolucionaria a produção agrícola, resultou na conquista do Prêmio Nobel de Química, em 1948.

Na época, o DDT era uma poderosa arma para combater o inseto transmissor da malária. Mas, mais tarde, descobriu-se que o composto é cancerígeno, teratogênico e que se acumulava no organismo do ser humano.

Após a guerra, a Europa passou por um grande período de fome, graças à destruição que havia no continente, resultado dos conflitos. Surgiu então a “revolução verde”, que tinha o objetivo de aumenta a produção agrícola e a produção de alimentos. Quanto menos pragas existissem para prejudicar as lavouras, melhores seriam as colheitas e maior a quantidade de alimentos produzidos. Um estudo feito pela USP revela que o uso dos agrotóxicos diminui de 10 a 40% a perda nas plantações.

A tal revolução verde chegou ao Brasil na década de 60 e foi implantada através de uma imposição: os bancos só financiariam a compra de sementes se o agricultor comprasse também o adubo e o agrotóxico. Porém, essa medida resultou em uma grande contaminação ambiental, pois além de ser prejudicial para a saúde, os agrotóxicos também são nocivos ao meio ambiente: terra, água e animais.

Atualmente, o Brasil é um dos países que mais consome esse produto no mundo. E, para piorar a situação, de acordo com Fernando Figueiredo, presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria Química, 20% dos agrotóxicos usados nas lavouras brasileiras são ilegais.

Foto: Reprodução InternetAgrotóxicos

Tipos de agrotóxicos

Os agrotóxicos são divididos em inseticidas e herbicidas.

Os inseticidas, como o próprio nome já diz, servem para combater os insetos e são divididos em três grupos:

Organoclorados: É considerado muito perigoso e sua comercialização está proibida em muitos países. Seu veneno é capaz de permanecer no meio ambiente por aproximadamente 30 anos. Ele atinge o sistema nervoso central e periférico.

Organofosforados e carbamatos: Eles faz parte do grupo conhecido como inibidores. Seus efeitos acontecem em até 24h após a aplicação do produto. Seus efeitos atingem o funcionamento dos músculos e glândulas.

Piretrinas: Esse inseticida pode ser natural ou artificial. São usados em residências em formas de spray, espirais ou tabletes. Causam alergia, asma e bronquite em crianças.

Já os herbicidas, servem para exterminar ervas daninhas e o mais perigoso deles é o Paraquat. Ele mata todos os tipos de planta e é considerado um herbicida de grande risco. Ele causa lesões nos rins e se concentra no pulmão, podendo causar fibrose irreversível.

Mais usado

Segundo o Jornal da USP – Universidade de São Paulo –, o agrotóxico mais usado no cultivo de alimentos é o brometo de metila (BM), inseticida considerado extremamente tóxico. Ele é um gás que serve para a desinfestação do solo, controle de formigas, além de matar fungos, bactérias e até mesmo ervas daninhas.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais