Como funcionavam as câmaras de gás, usadas para matar judeus?

A primeira vez que foi utilizada, foi em 8 de fevereiro de 1924, para realizar a sentença de Gee Jon, prisioneiro condenado a morte.

Criada para executar criminosos nos Estados Unidos, a câmara de gás se tornou famosa durante a Segunda Guerra Mundial, pois ela foi usada para matar um grande número de judeus inocentes. A primeira vez que foi utilizada, foi em 8 de fevereiro de 1924, para realizar a sentença de Gee Jon, prisioneiro condenado a morte.

Para causar o óbito dos ocupantes da câmara, são usados algum tipo de veneno ou de gás asfixiante. Os agentes mais comuns de serem utilizados são o cianeto de hidrogênio, dióxido de carbono e o monóxido de carbono.

Foto: Reprodução InternetCâmara de gás.
Câmara de gás era usada para matar judeus.

Durante a Segunda Guerra Mundial, na Alemanha Nazista, foram construídas câmaras de gás de grandes proporções. Elas tinham como finalidade matar pessoas com deficiências físicas, mentais ou “morais” (no caso, os judeus, como Hitler considerava), além de políticos indesejáveis e outros grupos que não eram tolerados pelos nazistas, como ciganos e homossexuais.

Na Alemanha, um pesticida começou a ser usado nas câmaras de gás, chamado de Zyklon B, utilizado pela primeira vez em Auschwitz I, em 1941.

Na época do Holocausto, os prisioneiros da guerra era levados para os campos de concentração, onde realizavam diversos trabalhos. Porém, que não estivesse apto para trabalhar, era enviado para ser eliminado nas câmaras de gás. Se “encaixavam” nesse grupo as crianças, os idosos, deficientes e também pessoas doentes.

Para evitar pânico, essas pessoas eram informadas pelos médicos e soldados que seriam levadas para tomar banho, onde receberiam roupas limpas e seriam levados para ficar com seus familiares. Ao entrar nas câmaras de gás, além da água, a câmara recebia o Zyklon B, que havia sofrido modificações para não possuir odor e, portanto, não despertar desconfiança das vítimas.

Para matar todos os ocupantes da câmara, bastavam cerca de 30 minutos de gás sendo liberado. Depois que todos haviam morrido, exaustores sugavam o gás, permitindo assim que os corpos fossem retirados do local.

Causas da morte

Extremamente letal para os seres humanos, o pesticida usado, ao ser inalado pelos prisioneiros, interferia na respiração, causando morte por sufocamento. Além disso, antes da pessoa morrer, ela sofria fortes crises convulsivas, sentia fortes dores, sangramento e perda das funções fisiológicas.

Depois de morrer nas câmaras de gás, os corpos eram queimados, numa tentativa de apagar as provas a respeito dos massacres cometidos pelos nazistas.

Veja também: Aracy Guimarães Rosa, a brasileira que salvou diversos judeus

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais