Como eram feitas as cirurgias antigamente?

O mundo evoluiu nas últimas décadas e a medicina também. Descubra como eram realizadas as operações antigamente.

Quando ficamos sabendo que uma pessoa irá fazer uma cirurgia, automaticamente, já achamos que ela tem algo grave. Em uma parte dos casos, nossa preocupação tem sentido, em outras, é desnecessário.  Hoje o conceito de procedimento cirúrgico é amplo e pequenas operações são chamadas de cirurgia.

Com a imensidão de recursos existentes na medicina hoje, a maioria das cirurgias optem resultados de sucesso. A ideia de que o paciente não sairá vivo do centro cirúrgico já não é tão comum. As pessoas com mais receio desse tipo de atividade médica são as pessoas mais velhas. Hoje em dia, os equipamentos e medicamentos estão avançados, e existe todo um procedimento rígido a ser cumprido antes da cirurgia. E, provavelmente, a melhor coisa que já aconteceu nessa área, foi o surgimento da anestesia.

Você consegue imaginar como eram os procedimentos cirúrgicos antigamente? Passar por uma cirurgia era algo como uma “amostra grátis do inferno”. Era algo tão terrível, que existiam seguranças para impedir que os pacientes fugissem.

Detalhes assustadores

Nos anos de 1800, a cada três pacientes operados, somente um sobrevivia. As cirurgias eram feitas o mais rápido possível – durando entre 10 e 15 minutos – para evitar uma hemorragia, mas, a pior parte era o pós-operatório. A maioria dos pacientes morria por infecções. A amputação de membros era frequente e feita com um torniquete.

Foto: Reprodução internetCirurgias
 

Como não existia anestesia, a dor que os pacientes sentiam era algo terrível. Pra piorar, os procedimentos ainda eram feitos em uma maca de madeira, sem conforto nenhum. Os pacientes mais ricos eram operados em suas casas, e tomavam álcool para tentar diminuir a dor. Já as mulheres, recebiam um bastão para morderem durante a cirurgia. O médico era acompanhado por diversas pessoas, que seguravam o paciente para evitar que ele se mexesse. Afinal, não se mexer enquanto alguém está abrindo uma parte do seu corpo sem anestesia é bem impossível, certo?!

Existia público para as cirurgias. Muitas salas de cirurgia possuíam arquibancadas e grades semicirculares. Elas eram ocupadas por estudantes de medicina, aprendizes, assistentes de cirurgiões e algumas vezes, por alguns curiosos – quando o cirurgião permitisse. O ambiente tinha muito barulho e até fumaça de cigarro. O paciente era posicionado de uma maneira que facilitasse a visibilidade do público.

Foto: Reprodução internetCirurgias

Os instrumentos usados durante a cirurgia e as mãos dos profissionais eram lavadas somente após a operação. Isso acontecia porque, na época, acreditava-se que as infecções eram causadas pelo miasma (mau cheiro das ruas e rios que se dissipava pelo ar). Hoje, sabemos que as infecções são causadas por micro-organismos. A esterilização dos instrumentos não acontecia como hoje. A roupa usada pelos cirurgiões também era um problema. Eles operavam vestindo a mesma roupa que usavam nas ruas, ou seja, cheias de bactérias.

Depois de ver como eram as cirurgias antigamente, só nos resta uma coisa: agradecer por toda evolução e melhorias que aconteceram na medicina.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais