Bolhas de metano congeladas formam um incrível fenômeno natural

Apesar de ser um belíssimo fenômeno natural, ele pode ser altamente perigoso para a saúde humana.
Foto: Reprodução Internet/Edwin MartinezGás metano congelado
 

A natureza é a responsável por diversos fenômenos, alguns que causam grandes estragos, outros que são apenas encantadores. O fato é que, sozinha, a natureza consegue produzir fenômenos naturais com belíssimas aparências, que encantam nossos olhos. Um grande exemplo disso é a Aurora Boreal.

Porém, um fenômeno diferente e bastante inflamável tem sido registrado ao longo dos anos. São as bolhas de metano congeladas. Elas são quase como águas-vivas do gelo.

O metano é um gás altamente inflamável. Uma grande parte desse gás é produzida a partir da decomposição de folhas e animais mortos no fundo dos lagos e rios. Quando esses seres caem na água, as bactérias presentes no fundo dos lagos dão início ao processo de decomposição desse material orgânico. O metano produzido durante essa ação é ejetada para a atmosfera, de maneira que forme bolhas na água. Conforme a água congelada vai derretendo, as bolhas vão subindo do fundo dos lagos.

Foto: Reprodução Internet/Robertharding/AlamyGás metano congelado

Em regiões muito frias, como no Canadá, é comum o gás congelar antes de chegar à superfície, por causa da baixa (muito baixa!) temperatura da água e também porque o gás não se dissolve na água. Sua aparência fica semelhante a uma água-viva. Essas bolhas são perigosas, pois podem causar explosões.

O lago mais comum para ver esse fenômeno natural é o Abraham, no Canadá. Ele é um lago artificial que foi inundado em 1972. Antes de virar um lago, sua superfície era coberta de árvores, plantas e animais, então o fundo desse lago possui mais matéria orgânica para ser decomposta do que em qualquer outro lago do mundo. Ou seja: quanto mais matéria orgânica para decompor, mais gás metano será produzido pelas bactérias.

Foto: Reprodução InternetGás metano congelado
 

Metano

O metano é um gás incolor e sem cheiro, altamente prejudicial, tanto para as pessoas quanto para o planeta. Estima-se que ele contribua 25 vezes mais para o efeito estufa e o aquecimento global do que o dióxido de carbono. Quando é inalado por uma pessoa, ele pode causar parada cardíaca, asfixia, inconsciência e, em casos mais graves, danos no sistema nervoso central.

Ele é formado através da decomposição de materiais orgânicos, da digestão de animais herbívoros, metabolismo de bactérias, vulcões de lama, extração de combustível mineral e pelo aquecimento de biomassa anaeróbica.

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais