10 instrumentos de tortura da Idade Medieval

Conheça alguns procedimentos de tortura enfrentados por acusados da Idade Média.

A Idade Média foi um período marcado por torturas inimagináveis. Atualmente, ouvimos muitos relatos de criminosos que são espancados e torturados na cadeia por policiais. Mas, acredite, perto do que acontecia na era medieval, as torturas de hoje são “água com açúcar”. Não é atoa que esse tempo passado é chamado de Idade das Trevas e Era de Ouro da Tortura.

Conheça agora 10 técnicas e instrumentos usados para torturar os prisioneiros durante a Idade Medieval. As informações são da Revista Galileu.

ATENÇÃO! As descrições e imagens a seguir podem ser consideradas fortes para algumas pessoas.

1 – Empalamento: Grandes estacas eram atravessadas no corpo da pessoa. A estaca era introduzida no ânus e terminava saindo pela boca. Com esse objeto, a morte acontecia de forma lenta, levando normalmente três dias para acontecer. O torturador Vlad III ficou conhecido por ter sido um dos mais frios torturadores de toda a história, inspirando a criação do personagem Drácula. Acredita-se que ele tenha matado de 20 a 300 mil pessoas usando a técnica do empalamento.

Foto: Reprodução InternetEmpalamento
 

2 – Berço de Judas: A técnica tinha o mesmo objetivo do empalamento, mas acontecia de maneira bem mais lenta. As vítimas eram obrigadas a sentar em pirâmides de madeira. Elas ficavam presas por cordas, enquanto o tronco pontudo ia “esticando” seus orifícios anais ou vaginais, um processo que levava vários dias. Alguns prisioneiros ainda tinham pesos amarrados nas pernas, para aumentar a dor e a velocidade do empalamento. Como o instrumento não era higienizado, além de toda dor de ter o corpo rasgado, os torturados ainda precisavam aguentar fortes infecções internas.

Foto: Reprodução InternetBerço de Judas
 

3 – Caixão da tortura: O condenado por crimes como roubo e blasfêmia eram colocados em uma gaiola apertada, uma “cela móvel”. A gaiola ficava pendurada em praça pública, para que a exposição ao sol causasse mais sofrimento ainda. O prisioneiro ficava na gaiola por dias, sem comida nem água, até morrer.

Foto: Reprodução Internet/paulo pereiraO Caixão da Tortura
 

4 – Balcão da tortura: Considerado o mais doloroso da época, ele consistia em uma mesa de madeira, com cordas em seus quatro cantos, que serviam para prender nos pés e mãos. Com maçanetas, as cordas eram recolhidas, puxando os membros, muitas vezes vindo a arrancá-los do resto do corpo. No final da Idade Média, espinhos de ferro foram implantados a mesa, para perfurarem as costas da pessoa enquanto seus pés e mãos eram puxados cruelmente.

Foto: Reprodução InternetO Balcão da Tortura
 

5 – Estripador de seios: Por motivos óbvios, era usado somente em mulheres. Eram punidas com ele mulheres acusadas de bruxaria, aborto e adultério. As garras do aparelho arrancavam os seios (dependendo do torturador, as garras podiam ser aquecidas). Uma variante desse instrumento, era o The Spider, que tinha o mesmo objetivo, mas ficava preso na parede, possibilitando que o torturador puxasse a mulher até os seios serem arrancados. A maioria das mulheres morria após essa tortura, por causa de infecções e hemorragias.

Foto: Reprodução InternetO Estripador de Seios
 

6 – Pera da Angústia: Era usado para “abrir” a série de torturas que viria a seguir. Ele era usado para punir homossexuais, mulheres e mentirosos. Com formato de pera, o instrumento de metal era inserido na vagina das mulheres, no ânus dos homossexuais e na boca de mentirosos. O objeto era feito com folhas de metal, que se abriam quando o torturador apertava um parafuso. Isso fazia com que a pele fosse arrancada e a região onde a pera da angústia estava fosse mutilada.

Foto: Reprodução InternetPera da Angústia
 

7 – Roda da tortura: Nesse objeto de tortura, os membros do prisioneiro eram amarrados em uma roda de madeira, que girava, enquanto os torturadores acertavam os braços e pernas da pessoa com grandes martelos feitos de metal. Depois disso, a pessoa ficava pendurada na roda, em praça pública, para que os animais se alimentassem do corpo da pessoa, que ainda estava viva. Assim como a maioria dos instrumentos de tortura, a roda também fazia a morte acontecer de forma lenta.

Foto: Reprodução InternetRoda da tortura
 

8 – Serra para cortar ao meio: Dois torturadores amarravam a vítima de cabeça para baixo, para que o sangue fluísse melhor. Depois, com uma serra, a pessoa era cortada ao meio, começando pelo meio das pernas. Essa tortura costumava levar horas e era usado contra pessoas acusadas de bruxaria, assassinato, adultério e blasfêmia.

Foto: Reprodução InternetSerra para cortar ao meio

9 – Esmagador de cabeças: Muito usado durante a Inquisição Espanhola, ele causava danos irreparáveis e dores fortíssimas. O instrumento era um capacete ligado à uma barra que servia para apoiar o queixo do prisioneiro. Um parafuso servia para apertar o capacete, comprimindo a cabeça da vítima. O resultado dessa tortura era arcadas dentárias e mandíbulas destruídas, globos oculares saltando dos olhos e cérebro saindo despedaçado através do crânio.

Foto: Reprodução InternetO Esmaga Cabeças
 

10 – Tortura do Garrote: Com esse instrumento, a morte era causada por asfixia. Uma corda era amarrada ao pescoço da vítima e o torturador a controlava. Lentamente, ele apertava a corda. O instrumento foi muito usado na Espanha até o ano de 1975.

Foto: Reprodução InternetTortura do Garrote
 

Se encontrar algum erro ou tiver alguma sugestão de curiosidade, entre em contato através da nossa fanpage no Facebook

FONTE: Dr. Curioso

Compartilhe este artigo:

Veja mais